14 dicas de locais para tirar fotos em BH

14 dicas de locais para tirar fotos em BH

setembro 28, 2020 Off Por Bendizê

Lugares para tirar fotos em BH:

  1. Casa do Baile – Av. Otacílio Negrão de Lima, 751 – Pampulha
  2. Museu de Arte da Pampulha – Av. Otacílio Negrão de Lima, 16585 – Pampulha
  3. Igrejinha da Pampulha – Av. Otacílio Negrão de Lima, 3000 – Pampulha
  4. Casa JK – Av. Otacílio Negrão de Lima, 4188 – Bandeirantes (Pampulha)
  5. Esplanada do Mineirão – Av. Presidente Carlos Luz – São Luiz
  6. Parque Guanabara – Av. Expedicionário Benvindo Belém de Lima, 15 – São Luiz
  7. Rua Sapucaí – Bairro Floresta
  8. Praça da Liberdade – Praça da Liberdade, 317 – Funcionários
  9. Praça do Papa – Av. Agulhas Negras, s/n – Mangabeiras
  10. Mirante das Mangabeiras – R. Pedro José Pardo, 1000 – Mangabeiras
  11. Serra do Curral
  12. Automóvel Clube – Av. Afonso Pena, 1394 – Centro
  13. Parque municipal – Av. Afonso Pena, 1377 – Centro
  14. Mirante da Serra do Rola Moça – Av. Montreal, s/nº – Jardim Canada

Seja para fazer aquelas famosas fotos pré-wedding em BH, seja para qualquer outro tipo de ensaio fotográfico profissional ou amador, a capital mineira é privilegiada por contar com muitas paisagens belas e cenários deslumbrantes, tanto naturais quanto arquitetônicos.

Neste post, vamos te dar algumas ideias de lugares para fotos em BH que atendem a diferentes propostas para você arrasar em seus cliques e fazer imagens incríveis tendo nossa capital como pano de fundo. Bora lá?

1. Casa do Baile

Herança dos “Anos Dourados”, ela já recebeu eventos da família JK, funcionou como restaurante, depósito da prefeitura e, hoje, abriga um Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design.

A Casa do Baile faz parte do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, um dos marcos da arquitetura modernista brasileira, projetado por ninguém menos que Oscar Niemeyer. Com paisagismo do também ilustre Burle Marx, a construção fica sobre uma ilha artificial ligada à Lagoa da Pampulha, podendo ser acessada por uma ponte de concreto. 

Embora já tenha passado por algumas reformas ao longo de todos esses anos (tendo sido tombada como Patrimônio Histórico em 1997) e, atualmente esteja fechada para visitas, com aspecto de abandono, ainda é um local que pode render belos cliques em sua parte externa. 

2. Museu de Arte da Pampulha

Primeiro edifício construído para integrar o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, inicialmente funcionou como cassino (até a proibição de jogos no Brasil, em 1946). O prédio, transformado em museu em 1957, foi considerado uma das obras-primas da arquitetura modernista brasileira, com composição de espaços livres e cenográficos, uso de perspectivas em paredes espelhadas — o que o fez ficar conhecido como Palácio de Cristal —, jogos de curvas e de rampas

No momento, se encontra fechado e há relatos de má conservação do espaço, o que é uma pena devido à sua beleza e importância histórica. Ainda assim, talvez seja possível garantir boas fotos em seu entorno. 

3. Igrejinha da Pampulha

Um dos principais cartões-postais de BH, declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 2016, a Igreja São Francisco de Assis, mais conhecida como Igrejinha da Pampulha, também faz parte do Conjunto Arquitetônico integrado pela Casa do Baile e pelo Museu de Arte da Pampulha, além do Iate Clube. 

Considerada a primeira obra de grande expressão de Niemeyer (que trabalhou neste projeto em parceria com outros artistas importantes), ela já virou um cenário quase clichê — mas nem por isso menos encantador — para fotos em BH. E, claro, não foi por acaso: suas curvas, inspiradas nas montanhas de Minas (e que representaram uma grande inovação para a arquitetura sacra brasileira na época), junto com o maravilhoso painel de Cândido Portinari, que retrata cenas da vida de São Francisco de Assis em azulejos azuis e brancos, na parte posterior externa da igreja, compõe um cenário único com a Lagoa da Pampulha ao fundo.

4. Casa JK

O grande projeto urbanístico que resultou no Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Pampulha foi uma iniciativa do então prefeito da capital mineira, Juscelino Kubitscheck, que depois foi também governador do estado e presidente do nosso país. Na época, ele também encomendou o projeto do que viria a ser sua casa de fim de semana, na orla da Lagoa. Ele tinha o intuito de urbanizar a região, tornando-a um centro de lazer e diversão.

Concebida em concreto armado, uma das principais marcas arquitetônicas de Niemeyer,

a antiga casa de JK foi tombada, se transformando em um museu, e conserva ainda alguns móveis de época e objetos que pertenceram à família do ex-presidente. O jardim da parte da frente, assinado por Burle Marx, conta com rochas, palmeiras imperiais e um lago no mesmo formato da Lagoa da Pampulha. O telhado, em formato de borboleta, segue o estilo utilizado também no projeto do Iate Clube. No interior da casa, há ainda um painel de Alfredo Volpi e mosaicos de Paulo Werneck, assim como na Igrejinha da Pampulha. Nos fundos, há uma piscina em que JK gostava de passar boa parte do tempo quando estava na casa, segundo relatos.

Sem dúvidas, há muitos elementos interessantes para compor belas imagens, mas antes de fazer uma visita, é importante verificar o funcionamento do Museu Casa Kubitschek, que pode estar suspenso ainda devido à pandemia ou ainda a eventuais reformas e restaurações, dependendo da época.

5. Esplanada do Mineirão

Com o estádio do Mineirão ao fundo, de um lado, e a Lagoa da Pampulha do outro, a Esplanada oferece muitas possibilidades de cenários para fotos em BH. Só fique atento(a) aos dias e horários de funcionamento, que podem variar dependendo dos eventos que ocorrem lá — fora isso, ela é aberta ao público — e evite também os momentos de provável pico, principalmente aos fins de semana, caso não queira dividir o espaço com esportistas diversos — skatistas, patinadores, corredores etc.

Além da bela paisagem, é um local que conta com infraestrutura e segurança, ou seja, uma ótima opção para você fazer seus cliques sem ter que se preocupar tanto com relação à segurança de seus equipamentos e à sua própria (embora seja sempre bom ficar atento, em qualquer lugar). 

6. Parque Guanabara

Parques de diversão costumam ser ótimos cenários para fotos, principalmente para ensaios românticos. O que pode dificultar em alguns casos é o fato de a maioria dos parques ser itinerante, mas em BH temos o privilégio de contar com um fixo, que está em funcionamento na orla da Lagoa da Pampulha (bem próximo à Igrejinha) desde a década de 1970 (antes ele chegou a funcionar no Carlos Prates e depois no Nova Suíça), sendo um ícone da cidade e mantendo aquele visual de antigamente, o que rende belos cliques.

Com esta, finalizamos as dicas de lugares para fotografar no entorno da Lagoa da Pampulha. Como vocês podem notar, há inúmeras possibilidades naquela região, que abriga alguns dos melhores cenários para fotos em BH.  

OBS: devido à pandemia do Coronavírus, o parque ainda está temporariamente fechado.

7. Rua Sapucaí

No coração do bairro Floresta (região leste), um dos mais antigos da capital, e próxima ao icônico Viaduto de Santa Tereza, fica uma das ruas mais charmosas e descoladas de BH: a Sapucaí, que após um processo recente de reocupação, se tornou um point da gastronomia, com diversão, arte e cultura. 

De lá se tem uma bela vista do chamado baixo centro, incluindo o conjunto arquitetônico da Praça da Estação e as empenas do CURA (Circuito Urbano de Arte) — murais gigantes pintados nas laterais de prédios da área central de BH, constituindo o primeiro mirante de arte urbana do mundo. A Belotur havia, inclusive, instalado lunetas na Sapucaí para a observação das empenas, que infelizmente foram alvo da ação de vândalos.

Debruçada sobre a balaustrada que encima os trilhos da antiga companhia ferroviária, se avista o que os comerciantes da região chamam de “skyline” e também um dos mais belos pores do sol da capital mineira, da qual a Sapucaí é considerada uma “orla” — além dos parklets instalados na rua, alguns bares disponibilizam cadeiras de praia para os frequentadores nestes espaços. Com tanto visual bacana, não é de se estranhar que a Sapucaí tenha virado cenário de locação para filmes, vídeos e ensaios fotográficos

8. Praça da Liberdade

Rodeada por imponentes casarões antigos, que já sediaram órgãos ligados à administração pública estadual e municipal, e que hoje abrigam museus e centros de arte e cultura — formando o Circuito Liberdade —, essa é, sem dúvidas uma das praças mais lindas e um dos melhores locais para fotos em BH

Recentemente revitalizada, a Praça da Liberdade, que é um dos principais pontos turísticos da capital mineira e já foi palco de grandes acontecimentos históricos, conta com lindos jardins, fontes de água, um enorme corredor de palmeiras imperiais — ou Alameda das Palmeiras — e um coreto, formando um cenário ideal para garantir cliques incríveis.

Concebida para ser uma esplanada do Palácio da Liberdade, antiga sede do governo de Minas, localizado em uma das extremidades da praça, inicialmente o projeto foi inspirado no paisagismo naturalista inglês, mas depois foi adotado o estilo francês, tendo os jardins de Versailles como referência, na ocasião da visita do rei e rainha da Bélgica.

9. Praça do Papa

A Praça Israel Ribeiro, no bairro Mangabeiras (região centro-sul), ficou conhecida como Praça do Papa após a visita do Papa João Paulo II. Em meio ao verde e aos pés da Serra do Curral, ela tem uma das vistas mais bonitas da cidade, motivo pelo qual é escolha frequente dos fotógrafos para fazer aqueles registros de tirar o fôlego.

10. Mirante do Mangabeiras

Um pouco acima da Praça do Papa, que já fica em uma parte mais alta da cidade, há esse mirante, do qual se avista praticamente BH inteira, de um lado, e o Parque das Mangabeiras do outro. Ele está em uma área de preservação ambiental, portanto é cercado de muito verde, e tem decks de madeira de onde se pode contemplar a vista estonteante. Para fazer ensaios de gestantes ou de pré-casamento, por exemplo, verifique a possível necessidade fazer algum tipo de agendamento prévio, mas se você é apenas um fotógrafo amador em busca de bons cliques panorâmicos, é só conferir os horários de funcionamento do Mirante do Mangabeiras.

11. Serra do Curral

A Serra do Curral, que integra o maciço do Espinhaço, é um símbolo de Belo Horizonte, podendo ser avistada de vários pontos da capital, emoldurando muitas de suas paisagens. Já para avistar a cidade a partir dela, há pontos bem interessantes, de onde é possível fazer fotos maravilhosas, como o Parque da Serra do Curral, que tem algumas trilhas e mirantes abertos ao público, e o Parque das Mangabeiras, com ampla área verde — sendo o Mirante da Mata é o ponto mais alto do parque — e um pouco mais de infraestrutura (playground, quadras poliesportivas, fontes de água etc.) que seu vizinho  — a portaria de ambos fica na Av. José Patrocínio de Pontes, no Mangabeiras.

Se o que você procura é uma vista 360º de nosso belo horizonte para fotografar, essa é a escolha certa!

12. Automóvel Clube

Se o que você busca é um ambiente mais pomposo e sofiscado para fazer suas fotos, essa pode ser uma ótima opção. Inaugurado em 1929, o prédio do Automóvel Clube foi construído em estilo neoclássico e é tombado como patrimônio histórico. Fica na esquina da Afonso Pena com a Álvares Cabral, de frente para o Parque Municipal, na área central da cidade.

O requinte do projeto, realizado por João Signorelli, foi inspirado nos palácios europeus. Mobiliário antigo, lustres, espelhos, muito mármore e pisos artísticos constituem a suntuosa decoração de seus salões, onde já foram realizados muitos bailes de gala. Em breve, deverá ser inaugurado em suas dependências um novo bar aberto ao público, o Mina Jazz, iniciativa conjunta do chef de cozinha Leonardo Paixão e do vereador Gabriel Azevedo.

Por se tratar de um imóvel privado, provavelmente é preciso obter autorização prévia para fotografar em seu interior.

13. Parque Municipal Américo Renné Giannetti

Patrimônio ambiental mais antigo de Belo Horizonte, o parque municipal foi a primeira área de lazer da capital. Ele abriga diversas espécies da fauna e da flora, árvores centenárias e lagos, além de pista de cooper, parquinho infantil, uma ponte e um coreto. O projeto, do arquiteto e paisagista francês Paul Villon, foi inspirado no chamado paisagismo romântico, com influência inglesa, priorizando a harmonia entre arquitetura e natureza. Em 1992, houve uma grande reforma que ampliou a área verde e recuperou aspectos da concepção paisagística original.

Na década de 1940, o pintor Alberto da Veiga Guignard formou outros importantes artistas dando aulas de pintura ao ar livre no parque municipal. Mais um frequentador ilustre foi Carlos Drummond de Andrade; e Olegário Maciel chegou a trocar o Palácio da Liberdade por uma casa no interior do parque quando era governador do estado. 

Se não quiser disputar o espaço para conseguir tirar boas fotos aproveitando a paisagem sem tanta gente ao redor, talvez seja melhor evitar os fins de semana. Por sua localização privilegiada, bem no centro da cidade, esse parque costuma ficar bem cheio. Recentemente, os parques de BH foram reabertos com entrada controlada, portanto é preciso retirar uma senha no site da prefeitura para o dia e horário desejados, e respeitar as regras impostas devido à COVID-19. A entrada é gratuita. 

14. Serra do Rola-Moça

O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, situado nos limites entre BH, Nova Lima, Brumadinho e Ibirité, abriga uma enorme biodiversidade, entre exemplares da fauna e da flora tanto do Cerrado quanto da Mata Atlântica. 

Em função de sua beleza natural extraordinária, com vistas estonteantes das serras da região, o turismo fotográfico e de contemplação é muito praticado por lá. Três de seus mirantes mais visitados são: Mirante Três Pedras, Mirante dos Planetas e Mirante Morro dos Veados. O acesso à portaria do parque se dá pelo bairro Jardim Canadá, a aproximadamente 30 km da região central de Belo Horizonte.

Como pudemos constatar, o que não faltam são excelentes locais para fotos em BH! Afinal, a capital mineira realmente faz jus ao seu nome, concorda? Agora é com você! Aproveite e leia também este outro post aqui para saber como tirar fotos incríveis com seu celular!

OBS: Conforme ressaltamos em alguns tópicos, devido à pandemia, alguns desses locais ainda pode estar temporariamente fechados ou com funcionamento restrito. De toda forma, aconselhamos sempre checar os dias e horários de funcionamento, bem como verificar a possível necessidade de obter algum tipo de reserva  ou autorização prévia, principalmente no caso de fotos profissionais.