História da Savassi: conheça a história de um dos bairros mais legais de BH

História da Savassi: conheça a história de um dos bairros mais legais de BH

novembro 30, 2020 9 Por Bendizê

“Promovida” a bairro há apenas 30 anos, a Savassi, antes disso, era parte do Funcionários. A presença de uma famosa padaria, que deu nome à região e ficava em um dos seus principais cruzamentos, mudou para sempre a história do lugar.

Bora conhecer um cadim mais dessa história de um dos centros comerciais mais importantes — e também uma das regiões mais charmosas — de BH?

O começo de tudo: como surgiu a Savassi

A Savassi de hoje, cheia de bares descolados e lojas legais, é bem diferente do cenário de antigamente —  ela foi sendo construída e desenvolvida ao longo da história da nossa amada capital mineira. Nos primeiros anos, quando a capital foi transferida de Ouro Preto para cá (em meados de 1987), tratava-se de uma região essencialmente residencial, com clima ainda de “interior”, crianças brincando nas ruas e um comércio local pequeno — a parte comercial forte da cidade se concentrava praticamente toda no Centro.

Na década de 40, uma padaria se instalou na Praça Treze de Maio — hoje, Praça Diogo de Vasconcelos — e, inclusive, se chamaria Padaria Treze de Maio. No entanto, depois de já estarem com a documentação e até bloquinhos de pedidos já prontos e estampados com o nome escolhido inicialmente, o filho de um dos donos sugeriu uma mudança que impactaria não só o estabelecimento daquela família de origem italiana, mas região como um todo: usar o sobrenome deles, que era Savassi.

Ou seja, em vez de a padaria pegar emprestado o nome da praça, a praça foi que futuramente acabou sendo apelidada de “Praça da Savassi”, assim como toda a região no entorno, que passou, então, a ser chamada de Savassi, até se tornar um bairro independente do Funcionários em 1991.

A Padaria Savassi funcionou de 1940 a 1977 — quando se mudou para a rua Rio Grande do Norte — no quarteirão da rua Pernambuco, onde nos dias atuais há uma loja de telefonia celular. Naquela época, tinha até a Turma da Savassi, um grupo de amigos que se encontrava com frequência naqueles arredores e aprontava todas por lá. Essa história rendeu até um livro: “A Turma da Savassi… Que Virou Nome de Bairro”, escrito pelo jornalista, escritor e compositor Jorge Fernando dos Santos.

Um dos frequentadores mais célebres da padaria era ninguém menos que JK, o ex-presidente do Brasil, que também foi prefeito de Belo Horizonte e governador do estado.

Outro estabelecimento ilustre que movimentou a região foi o Cine Pathé, um cinema de rua que funcionou até 1999 onde hoje fica um estacionamento da Avenida Cristóvão Colombo (pertim de onde era a Padaria Savassi).

E sabe o Pirulito da Praça Sete? O famoso monumento em formato de obelisco permaneceu no cruzamento entre a Cristóvão Colombo e a Getúlio Vargas de 1963 a 1980, quando a região central passava por reformas.

Mudanças recentes: a Savassi nos dias atuais 

Em 2004, por iniciativa da Associação de Moradores e Amigos da Savassi (Amas), foi realizado o projeto Via Albuquerque, que transformou a paisagem da rua Antônio de Alburquerque, com novos canteiros e iluminação. 

Mais do que interferir na parte física, o intuito era incentivar moradores, lojistas e demais frequentadores da Savassi a ocupá-la de maneira consciente, o que deu origem também ao projeto Savassi Criativa, promovendo uma conexão entre a moda, o audiovisual, as artes, a literatura e a tecnologia, diversos negócios criativos que estão presentes na região.

Uma das ações endossadas pelo movimento foi “A Savassi é da Gente”, que interrompe o trânsito em parte da Getúlio Vargas aos domingos, deixando a avenida livre para o lazer da população, tendência em outras grandes cidades, como São Paulo (Av. Paulista) e Brasília (Eixão). OBS: o programa está temporariamente suspenso por conta da pandemia.

A região passou, ainda, por uma revitalização em 2012. Apesar das melhorias em termos de infraestrutura, isso dificultou a permanência de alguns comércios devido ao aumento do preço dos aluguéis na região. Além disso, as intervenções ficaram restritas a um perímetro menor do que o planejado inicialmente, contemplando basicamente os quarteirões fechados (os “calçadões” em que não há circulação de veículos, mas apenas de pedestres, onde ficam também as fontes e jardins).

Diante de tantas mudanças, uma coisa se manteve: a feirinha do Colégio Arnaldo (na Av. Bernardo Monteiro), que existe desde os primórdios da Savassi — quando ela ainda nem era chamada assim — e resiste até os dias atuais (embora tenha sido temporariamente suspensa também devido à pandemia do Coronavírus).

Uma super novidade é que nossa loja agora fica no coração da Savassi! Venha nos fazer uma visita, tomar um cafézim, vestir a camisa de MG (literalmente) e conhecer (ou revisitar) essa região encantadora de BH! Anota aí nosso endereço: Av. Getúlio Vargas, 1611.

Loja Bendizê – Avenida Getúlio Vargas, 1611 – Savassi, BH