Dicionário de mineirês: guia básico do sotaque mineiro

Dicionário de mineirês: guia básico do sotaque mineiro

junho 9, 2020 Off Por Bendizê

O sotaque mineiro é famoso no Brasil pelo jeitim de falar único e as inúmeras expressões e gírias regionais. Algumas são tão engraçadas que viram até meme por aí! Minas tem praticamente um dialeto próprio, que apelidamos carinhosamente de mineirês.

Além disso, nós, mineiros(as), temos mania de engolir o final das palavras (e, às vezes, também o início), emendar uma palavra na outra e pronunciar “cantando” — ainda puxando o “r”, em algumas regiões como Sul de Minas e o Triângulo Mineiro.

Convidamos ocê agora prum dediprosa cheio de mineiridade: bora intendê mió esse tanditrem doidimai que mineiro fala. Pegue um cafezim e se achegue!

Vão cumeçá intão cas apresentações, némez?

Cumé qui cê chama? — Como é seu nome?

Cê é fí di quem? — Você é filho de quem ou quem são seus pais? (principalmente no interior, é muito comum identificar a pessoa pela família).

Doncêé? — De onde você é?

Oncêmora? — Onde você mora?

Que qui cê faiz? — O que você faz/com o que você trabalha? 

Agora prestenção pra não respondê coisa que num tem nadavê quando um mineiro te perguntá um “trem” (qualquer coisa):

Cê tá bão/boa? — Você está bem?

Cadiquê? — Por causa de que/por que motivo?

Oncêvai? — Para onde você vai?

Doncôvim? Oncotô? Oncovô? — De onde eu vim, onde estou, para onde vou?

Que cê tá arrumano? — O que você está fazendo?

Bora/vambora? — Vamos nessa/vamos embora?

E aí, vão? — Vamos?

Prônóstâm’íno? — Pra onde nós estamos indo?

É mêz? — Sério?

Némêz? — Concorda?

Cuma? — Como é que é? O que foi que você falou?

Cê fraga? — “Saca”/entende?

Cantázora? — Que horas são?

Contáujôgu? — Qual o placar do jogo?

Quanquié? — Quanto custa?

Cê sa se esse ôns pas na Savas? (essa é clássica e já virou uma espécie de “piada interna”) — Você sabe se esse ônibus passa na Savassi (bairro de BH)?

Tem “tamém” aquelas perguntinhas retóricas (qui num pricisa di respondê):

Tá doido? — expressa surpresa/espanto

Tem base um trem desse? — Acredita nisso? (reação diante de algo absurdo ou sem nexo)

Tem cabimento? — o mesmo que “tem base?”

Procê aprendê a se localizá na casa (ou na cidade) de um mineirim:

Badapia — debaixo da pia

Tradaporta — atrás da porta

Denduforno — dentro do forno

Ladilá — do lado de lá

Nêscantaqui — nesse canto aqui 

Logali (ou pertim) — para o mineiro, essa distância que pode variar de 100 m a 100 km, aproximadamente.

Segue reto toda vida — seguir na direção indicada em linha reta (prepare-se para andar um cadim, viu?).

Procê num ficá pirdido nu tempo em Minas Gerais oh:

Ansdionte — antes de ontem

Dominquivem — domingo que vem

Isturdia — outro dia

Sápassado — sábado passado

Sés setem — sete de setembro

Gostô? Intão bora intendê mais um cadim dessa muntuera de trem que a mineirada fala:

A

Acudir — socorrer

Aqui — serve para começar qualquer frase, sem tradução ou motivo específico

Ah neein! — interjeição que representa desânimo, desapontamento ou discordância

Apear — descer

Arreda — chega pra lá, se afaste! (A não ser que o mineiro deixe explícito: “arreda pra cá!” Aí você deve se aproximar).

 

tenha sua camiseta arreda branca

Ataiá — cortar caminho

Atazaná — encher o saco

Azideia — Olha as ideias! (geralmente, se trata de uma crítica)

Armaria — Ave Maria! (geralmente, indica espanto ou desaprovação)

Arroiado — cheio

B

Bagaça — coisa ruim

Biscoito — bolacha (essa é polêmica!)

Bitela — alguma coisa muito grande

Blusdifrí — blusa de frio

Bobajada — um amontoado ou sucessão de bobagens

Bololô — confusão, bagunça

Bubiça — bobagem, coisa à toa

Bunidimais — bonito demais (Cê ficô bunidimais cum esse cabelo, sô! — cuidado, pode conter ironia)

Burricido — chato, aborrecido (“Larga mão de cê burricido, ou!”)

C

Cabuloso — estranho ou complicado

Caçar encrenca — procurar confusão (“Pára de caçá increnca e vai trabaiá, sá!”)

Cacunda — costas

Cambada — grupo de pessoas (“Ô, cambada de gente à toa, na praça uma hora dessa!”)

Cadim, cadiquim ou tiquim — um pouquinho

Cadivó — essa é facil, vai: casa de vó

Caduzôto — casa dos outros (“Nessa pandemia nóis num tá podenu ir na caduzôto à toa…”)

Capazzz — de jeito nenhum, não tem nem perigo (de ir, falar, fazer ou acontecer tal coisa)

Cascá — descascar (uma fruta, por exemplo)

Cascar fora — ir embora, escapar

Catira — negociação que envolve troca de bens (um queijim da roça por um pacote de café torrado e moído na hora, por exemplo)

Causo — história, relato

Cêbesta — deixa de ser besta (pode também indicar perplexidade diante de algum fato/informação)

Cê dá trabai dimais! — Você dá muito trabalho (importuna, incomoda, gera preocupação)!

Cê já coisou o trem? — Você fez aquilo? Preparou? Está pronto?

Cêmêz — você mesmo

Cêquisabi — você é quem sabe

Cocê — com você (“Xôilácocê” — deixa eu ir lá com você)

Coitádocê — coitado de você (pode indicar pena ou desdém)

Constipá — constipar, resfriar, gripar (“Minino, sai dessa friági si não cê vai constipá!”).

Conversa fiada — conversa à toa, sem importância ou sem lógica

Copada — copo cheio de qualquer coisa (“Tomei uma copada de suco ansdionte!”).

Corbombero — Corpo de Bombeiros

Córgu — córrego

Crendeuspai — essa você pode clicar para conferir a explicação completa neste outro post aqui!

Cuais — quase

Culiado — envolvido em uma conspiração

Cum força — usado para expressar intensidade (“Bão cum força!”)

Curuiz — variante de “cruz credo!”, expressa aversão ou espanto

Custoso — coisa difícil ou pessoa mal comportada (“Que trem custoso, cêbesta!”)

Bençôi — Deus te abençoe!

D

Deus ti pague — agradecimento

Di butuca — espiando, observando

Difis — difícil

Dimaidaconta — muito, exagerado (“Bão dimaidaconta!”)

Dintirim — o dia inteiro

Disfeita — ofensa, menosprezo, desaforo (“Vô cumê só um pedacim pra num fazê disfeita…”)

Disgrama — algo ruim, variação de “desgraça”

Di vera — é verdade

Doidimai — muito legal, irado!

Dôsdileite — essa você não só entende o que é, como sabe que o mineiro é o melhor disparado!

E

Ê, lasquera! — quando se tem uma surpresa boa ou ruim

Eita, ferro! — geralmente, significa que alguém está lascado/se meteu em uma encrenca daquelas

Encasquetá — colocar uma coisa na cabeça e não mais tirar 

Engastaiá — agarrar, emperrar, estragar

Enrabichado — enrolado/envolvido romanticamente com alguém

Espia — olha, observa

Esse trem tá coisado, não tá? — esse negócio tá estranho/enrolado/difícil/complicado/suspeito

F

Facidéia — faço ideia, entendo

Fí — filho, porém usado para chamar qualquer um que não necessariamente seja seu filho

Ficativo — fica esperto, não dá bobeira

Ficá veiáco — ficar esperto, precaver-se

Fingir de égua — se fazer de bobo

Fédazunha — xingamento alternativo ao “filho da…”

Friági — frio intenso

G

Gastura — aflição, desconforto

Gradicido — agradecido

Graúdo — grande, volumoso

Górinhamêz — agora mesmo, nesse instante, acabou de acontecer

Guela — garganta

Guenta a mão — espera um pouco

Grazadeus — graças a Deus

I

Ino — indo

Inté — até mais

Intojado — chato, esnobe

Intorná — entornar/derramar

Invém — está vindo/chegando

Inventá moda — agir de maneira inusitada

Iscumungado — ordinário, sem vergonha

Isfriô — esfriou

J

Jacú — bobo, ignorante

Jiriza — ojeriza (nojo, aflição)

L

Laía — o contrário de “invinha” (“Onde cê laía hoje cedo, na hora que eu invinha da  igreja?”)

Lavar vasilha — lavar louça

Levar tinta — se ferrar

Lídileite — litro de leite

Lombêra — preguiça, corpo mole (geralmente depois de comer muito tropeiro, carne de porco, dôsdileite…).

M

Manota — “mico”, vexame, ato falho ou inconveniente

Manoteiro — vacilão

Marmota — usado para se referir a algo feio ou estranho/esquisito

Mastumate — massa de tomate 

Matula — marmita

Mí — milho

Mió qui tá tenu — o melhor que está tendo/é o que há no momento

Moda — música “raiz”/caipira

Muncado — um pouco

Mundaréu — um amontoado de coisas

Mundovéi — uma grande quantidade

Muntuêra — aglomeração

Murrinha — pode ser mau cheiro ou chatice/reclamação repetitiva/murmúrio insistente

N

Nhaca — mau cheiro impregnado ou má sorte/encosto/mau olhado

Néca de pitibiriba — jamais, em tempo algum

Népussivi — não é possível/não acredito nisso

Nigucim — qualquer coisa pequena

Nimim — em mim

Nirvusia — estado nervoso

Nu jeito — pronto para algo/situação oportuna

Nuh — “Nossa senhora” que virou “Nossinhora”, depois “noh” e, finalmente “nuh”: interjeição usada para expressar espanto ou intensidade (“Nuh, que trem mai bão!”).

Num dô conta — não consigo ou não entendo/não engulo isso

Num é dival — não é válido

Num garra não — não tem problema

Num guento — o mesmo que “num dô conta”

Num me amola não, sô! — não enche o saco 

O

Ô, bobo — rejeição/desapontamento

Ô, bondade — Que coisa boa!

Ô, dó — pode indicar pena ou desconfiança (no mesmo sentido de “duvido!” ou “até parece…”)

Ô, íngua — Que chatice!

Óia, só — advertência para chamar atenção para algo ou alguém

Ôua — espanto/susto/desaprovação

Ópcêvê — Olha pra você ver

O trem tá feio — A situação tá complicada

P

Padaná — muito, bastante

Paia — sem graça, nada a ver, sem noção 

Panhá — apanhar, pegar

Paradeza — falta de movimento 

Passá manta — passar alguém para trás, dar um golpe, causar prejuízo

Pegano o boi — tendo mais que o merecido

Pelando — muito quente

Pelejânu — batalhando, lutando

Picá a mula — ir embora, dar o fora

Pingando de sono — com muito sono

Pititinho (a) — pequenininho (a)

Pocar — estourar

Pópôpó — pode pôr o pó (e passar um cafezim) <3 

Pondiôns — ponto de ônibus 

Pópegá — pode pegar

Pra dedéu — muito, pra caramba

Prosa ruim — conversa chata, desagradável

Prus côco — feito de qualquer maneira, sem cuidado ou sujeito despreocupado/desleixado

Q

Quais — quase

Quidicarn — quilo de carne

Quitanda — termo usado para se referir a quitutes como roscas, bolos, biscoitos ou à loja que vende essas quitandas (e também frutas, verduras e legumes).

Qui nem — igual (“Achou meu irmão parecido comigo? Nuh, igualim qui nem!”).

R

Rachá os bico — morrer de rir

Rapa do tacho — filho mais novo, caçula

Remedá — arremedar, imitar

Rilia — conflito, briga

Rôizdoce — arroz doce

Ruditrás — rua de trás

S

Sá — feminino de “sô”

Sartá de banda — ir embora, “dar no pé”

Saudadocê — saudade de você

Sácoméquié — sabe como é

Sem doce — sem açúcar (“Esse café tá muito forte e sem doce!”).

Sumiduai — “Você está sumido! Há quanto tempo não te vejo?”

Sungar — levantar, erguer

T

Taiá o sangue — irritar-se

Tem as manha — tem habilidade com algo

Ter um troço — ser surpreendido, ter um ataque de nervos

Tem gái não — sem problemas

Teve bão — foi ótimo, gostei

Tidiguerra — Tiro de Guerra

Tô garrado(a) — pode ser tanto no sentido literal (“tô agarrado no trânsito”, que está lento/parado; ou “tô agarrado no trabalho”, com muita coisa pra fazer) como no figurado (“tô dentro/não perco por nada”).

Tô poco me lixano — não me importo nem um pouco/”tô nem aí”

Trapaiado — bagunçado, desorganizado 

Trem — absolutamente qualquer coisa

Trenheira — um monte de “trem”/quaisquer objetos misturados

Trupicar — tropeçar

Turrão — rabugento, ranzinza

U

Uai — uai é uai, uai!

Uaifai — versão mineira da internet sem fio

V

Vacaiado — avacalhado, desleixado

Varado di fome — com muita fome

Vidiperfum — vidro de perfume

X

Xingo — ofensa

Xopô — deixa eu por

Xôvê — deixa eu ver

Xuxá — passar em/molhar/enfiar (“Xô xuxá o pão nesse resdimôi aqui…”).

Z

Zé Dendágua — mané

Zói da cara — muito caro

E aí, já tá speaking fluent mineirês

Chegando em Beagá, é importante saber identificar o nome das principais avenidas e pontos turísticos quando pedir informação pra um mineiro

  • Augusdilima (Avenida Augusto de Lima)
  • Fônsupena (Avenida Afonso Pena)
  • Palásdazarti (Palácio das Artes)
  • Pradaliberdade (Praça da Liberdade)
  • Prástação (Praça da Estação)
  • Rudomendoim (Rua do Amendoim)
  • Rugoiais (Rua Goiás)
  • Santê (Santa Tereza)
  • Tôin Cars (Avenida Antônio Carlos)
  • Amazôns (Avenida Amazonas)
  • Veniducontornu (Avenida do Contorno)
  • Viisprés (Via Expressa)

Vamu vê agora como os mineirim pronunciam o nome de algumas cidades mineiras:

  • Baité (Abaeté)
  • Berlândia (Uberlândia)
  • Beraba (Uberaba)
  • Birité (Ibirité)
  • Carmóps (Carmópolis)
  • Divinóps (Divinópolis)
  • Bitiúr (Ibitiúra de Minas)
  • Livêra (Oliveira)
  • Mons Clas ou Mons Clars (Montes Claros)
  • Oru Pretu (Ouro Preto)
  • Patiminas ou Padiminas (Patos de Minas)
  • Peleopoldo (Pedro Leopoldo)
  • Tiófilotôni (Teófilo Otoni)
  • Xizdifora (Juiz de Fora)

Faltou a sua? Deixe seu comentário pra gente incluir! Conhece mais alguma expressão mineira que não tá aqui? Comenta tamém, uai!

Sabemos que existem muitas variações linguísticas entre as diferentes regiões de Minas Gerais e que compartilhamos algumas dessas expressões e estilos de pronúncia com outras regiões e estados do Brasil que fazem divisa com MG (como Goiás e Bahia). Leia também: Minas tem muitos sotaques: cê conhece todos?

Lembra que falamos no começo que algumas expressões mineiras acabam virando meme? Outras viram também estampa de camisetaconfira em nossa loja virtual!

Acompanhe também nosso Instagram e nosso blog para ver mais curiosidades sobre a história e a cultura mineira!