Sul de Minas x Cerrado Mineiro: conheça mais sobre as regiões produtoras de café

Sul de Minas x Cerrado Mineiro: conheça mais sobre as regiões produtoras de café

junho 17, 2020 17 Por Bendizê

Não há como negar que, em casa de mineiro, café é rei! Minas Gerais é o maior produtor de café do Brasil, que, por sua vez, é o líder mundial em exportação deste grão.

E não é só pelos números que nosso estado se destaca: a qualidade do café mineiro é reconhecida e apreciada em várias partes do mundo — tanto que já rendeu uma extensa coleção de prêmios e certificados, prova do prestígio nacional e internacional conquistado pelo nosso café.

Além de ser um patrimônio cultural de Minas, o café é um dos principais propulsores da nossa economia. É pra matar os mineirim de orgulho, né não?

Pegue uma xícara, se acomode confortavelmente aí na sua cadeira e continue a leitura para saber mais sobre nosso amado cafezim e as principais regiões produtoras do estado e do país!

Quais são as principais regiões produtoras de café do Brasil

São Paulo divide com Minas uma forte tradição cafeeira. A região de Alta Mogiana abrange municípios cafeicultores paulistas e mineiros, assim como a Média Mogiana — esta restrita ao território do estado de São Paulo, com a produção mais centrada no município de São João da Boa Vista. Outra região paulista produtora de café é a de Ourinhos e Avaré

Na Bahia, especialmente na região da Chapada Diamantina, são produzidos alguns cafés premiados, embora a história das terras baianas na cafeicultura seja mais recente.

O Norte Pioneiro do Paraná e as Montanhas do Espírito Santo também são regiões que integram a produção cafeeira nacional.

Cada região produz cafés únicos, de acordo com as condições climáticas, o solo e o cultivo, resultando em uma enorme variedade de sabores e aromas, em face da gigantesca extensão territorial brasileira. 

Café do Sul de Minas: características e principais cidades

Principal região produtora de café do mundo, o Sul de Minas concentra o maior número de árvores de café plantada por metro quadrado. Sua altitude elevada e a temperatura média anual favorecem a produção de cafés encorpados, com sabores ácidos e levemente cítricos, e aromas frutados.

As principais variedades cultivadas no Sul de Minas são Catuaí e Mundo Novo, mas também são encontradas na região os cafés  Icatu, Obatã e Catuaí Rubi.

Algumas das principais cidades produtoras de café do Sul de Minas são: Varginha, Pouso Alegre, Passos, Itajubá, São Sebastião do Paraíso, Santa Rita do Sapucaí, Andradas, Alfenas, Paraguaçu, Três Corações, Três Pontas, Fama, Muzambinho e Guaxupé.

Poços de Caldas se destaca por seu terroir diferenciado, devido ao fato de a cidade estar sobre a cratera de um vulcão extinto (que muito provavelmente nunca entrará em erupção). Em suas montanhas, são cultivadas as subvariedades Bourbon Amarelo e o Fox Bean (grão de café verde envolto por uma película marrom super doce).  

Café do Cerrado Mineiro: características e principais cidades

A região do Cerrado Mineiro, que tem características e particularidades diferentes das do Cerrado Brasileiro, é a primeira região demarcada de produção de café no país, assim como acontece com as famosas regiões produtoras de vinho. O trem tá ficanu chique dimais, sô!

Composta por 55 municípios do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas, conta com Denominação de Origem (DOC), um registro concedido pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), que garante a procedência do café produzido neste território específico, atestando sua qualidade e assegurando rastreabilidade dos lotes.

Isso se deve a fatores geográficos, naturais e humanos, levando em consideração critérios relativos tanto ao manejo (incluindo os processos de plantio, colheita, processamento — secagem, moagem e armazenagem do café) quanto ao cumprimento da legislação e ética ambiental e trabalhista. 

Algumas das principais cidades que compõem a cafeicultura da região são: Patrocínio (maior produtor de café do Brasil), Monte Carmelo, Araguari, Coromandel, Araxá, Carmo Paranaíba, Unaí, Campos Altos, Guarda-Mor, Patos de Minas e Sacramento.

O terroir do Cerrado Mineiro é bastante propício para a produção de cafés especiais. Assim como ocorreu com algumas bebidas alcoólicas, como a cerveja, o café também deixou de ser só uma bebida comum e ganhou versões “gourmet”, cujo consumo vem crescendo significativamente e com as quais podem ser feitas harmonizações gastronômicas bem interessantes. Ópcêvê, num falei que o trem tá chique?

O café do Cerrado Mineiro, que é 100% arábica, apresenta corpo médio, sabor adocicado com nuances de chocolate, acidez média e levemente cítrica, e aroma intenso, que vai de nozes a caramelo. As variedades mais cultivadas na região são Mundo Novo e Catuaí.

Outras regiões produtoras de café em Minas Gerais

Embora o Sul de Minas e o Cerrado Mineiro sejam as principais regiões produtoras de café, há outras que também se destacam na cafeicultura mineira, como a região das Matas de Minas, no Leste do estado. Ela concentra 63 municípios que produzem cafés especiais de sabor adocicado e aroma intenso, com notas florais e cítricas. As principais cidades são Diamantina, Presidente Kubitschek, Manhuaçu, Ervália, Araponga e Viçosa.

No lado mineiro da Serra da Mantiqueira, é produzido também um café excepcional. A região conhecida como Mantiqueira de Minas, é detentora de uma grande tradição e reputação notável na produção de cafés especiais diferenciados, com destaque para o pequeno município de Carmo de Minas, que já recebeu vários prêmios.

Outras cidades que despontam na produção cafeeira da Mantiqueira de Minas: Conceição das Pedras, Paraisópolis, Jesuânia, Lambari, Cristina, Dom Viçoso e Pedralva.

O café dessa região apresenta as seguintes características: notas cítricas e florais, corpo denso e cremoso, acidez média a alta e finalização longa. 

Nos últimos anos, o café mineiro ganhou valor agregado a partir de investimentos expressivos em inovação tecnológica e pesquisas e, atualmente, já é consumido em mais de 60 países, tem base?

Fala sério, deu até vontade de passar aquele café fresquim, nêmez? Se for acompanhado de um pãozim de queijo recém saído do forno então… Nuuuh!

Aproveite também para ler outros conteúdos em nosso blog, que é cheim di mineiridade!