Vinhos mineiros vêm ganhando reconhecimento no mercado nacional

6 minutos para ler

Minas Gerais tem uma forte tradição culinária, reconhecida como uma das melhores do país, com destaque para o café, o queijo e a cachaça. Além disso, Belo Horizonte e região metropolitana se consolidaram nos últimos anos como polo cervejeiro.

Agora, o estado começa a despontar, também, no cenário dos produtores de vinhos nacionais. Isso mesmo! Os vinhos de Minas Gerais já ganharam alguns prêmios importantes, figurando atualmente em 7º lugar na produção brasileira.

Quer saber um pouco mais dessa história? Leia o post até o fim para descobrir!

Vinícolas mineiras para se conhecer

Assim como a região Sul do Brasil tem tradição na produção de vinhos, o sul de Minas — que é conhecido como zona cafeeira — é onde se concentram, também, a maioria das vinícolas do estado. Embora ainda haja um longo caminho a ser percorrido, o enoturismo em Minas Gerais tem se mostrado promissor.

Veja a seguir algumas vinícolas mineiras que oferecem visitas guiadas (com degustação)!

Maria Maria (Boa Esperança/Três Pontas)

Não é mera coincidência: o nome da vinícola é uma homenagem a Milton Nascimento, que é amigo do dono da fazenda Capetinga, onde as videiras dividem espaço com o café.

Em um primeiro momento, Bituca duvidou que produzir vinho em Minas Gerais pudesse dar certo.Tanto deu que o Maria Maria Bel Sauvignon Blanc 2015 foi reconhecido com medalha de bronze em sua categoria pela Revista Decanter no World Wine Awards 2017, em Londres, atraindo os olhares do mundo para os vinhos de Minas Gerais.

Embora a composição seja de autoria de Milton, Maria Maria se tornou um hino feminista na voz de Elis Regina. Todos os vinhos da vinícola levam nomes de mulheres, em homenagem às familiares dos proprietários.

O que motivou Eduardo Junqueira Nogueira Júnior a começar a produzir vinhos também é uma história bastante interessante. Depois de sobreviver a um ataque cardíaco, o médico recomendou a ele uma taça de vinho por dia. 

Sabendo do potencial que começava a despontar na região com a técnica da poda invertida (entraremos em detalhes mais adiante), encomendou as primeiras mudas para fazer sua própria bebida. As variedades plantadas hoje em sua fazenda são: syrah, cabernet sauvignon, sauvignon blanc e chardonnay.

É possível agendar uma visita para conhecer a produção e realizar uma degustação, que pode ser feita harmonizando com os pratos do restaurante que há na propriedade. 

Vinho maria maria syrah 2015
Vinho Maria Maria – Syrah 2015

Luiz Porto (Cordislândia)

Com maquinário importado da Itália, tanques de aço inox e barricas de carvalho francês, a família Porto produz duas linhas de vinhos finos: Dom de Minas (nas variações sauvignon blanc, syrah, cabernet franc, merlot, moscatel e rose) e Luiz Porto (chardonnay, cabernet sauvignon, syrah, brut e grand reserva syrah).

É necessário agendar para conhecer a estrutura moderna e tecnológica da vinícola, além das videiras que são cultivadas por lá desde 2004, com direito a passeio a cavalo e degustação de vinhos. Você pode, ainda, comprar algumas garrafas para levar para casa na lojinha da vinícola.

vinho luiz porto syrah 2017
Vinho Luiz Porto

Estrada Real (Três Corações)

Esta foi a vinícola que produziu o primeiro vinho fino de Minas Gerais: o Primeira Estrada. Um dos sócios é Murillo de Albuquerque, o “pai” da poda invertida. A parreira experimental foi implantada na fazenda Maria da Fé em 2001, dando o pontapé para uma nova era de vinhos mineiros.

Outros dois sócios são os viticultores franceses Patrick Arsicaud e Thibau De Salettes, que produzem mudas e vinhos para o mundo inteiro, além do dono da fazenda, Marcos Arruda Vieira. Os vinhos produzidos lá seguem um rigoroso controle de qualidade que começa já no cultivo das mudas. Para fazer uma visita, também é necessário agendar.

Vinho Primeira Estrada – Syrah 2017

Vinhos premiados de Minas Gerais

A técnica de poda dupla ou invertida consiste em inverter o ciclo da videira para que a colheita ocorra no inverno e não no verão, como de costume. Assim, é feita uma poda para formação de ramos entre agosto e setembro e outra de produção em meados de janeiro e fevereiro, para que a colheita seja feita entre junho e agosto. 

Nesta época, o tempo é seco, ou seja, quase não chove, os dias são ensolarados e as noites mais frias, proporcionando a amplitude térmica e as condições ideais para o desenvolvimento de uma uva propícia para a produção de vinhos finos, com equilíbrio entre álcool, acidez e estrutura dos taninos.

Desenvolvida pelo engenheiro agrônomo Murillo de Albuquerque Regina, que é especialista em vitivinicultura pela Universidade de Bourdeaux, na França, em projeto realizado pela Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) de Caldas, a técnica foi a chave de virada para a produção de bons vinhos na região do sul de Minas, onde o solo e o clima favorecem a vinicultura.

Assim, Minas Gerais conta com inúmeros vinhos premiados. Confira a seguir!

Syrah Maria Maria Gran Reserva – Cristina (Safra 2016):

  • Medalha de Recomendação no Concurso Decanter World Wine Awards 2019
  • Medalha de Ouro na Grande Prova Vinhos Brasil (GPVB)
  • Medalha Gold Wines of Brazil Awards

Espumante – Sous Les Escaliers (Safra 2018):

  • Medalha de Prata com 90 pontos no Concurso Decanter World Wine Awards 2019
  • Medalha Grand Gold Wines of Brazil Awards

Syrah Maria Maria – Diana (Safra 2017):

  • Medalha de Prata 2019 Decanter World Wine Awards | 90 pontos
  • MedalhaGrand Gold Wines of Brazil Awards

Sauvignon Blanc Maria Maria –  Elis (Safra 2018):

  • Medalha de Bronze 2019 Decanter World Wine Awards | 86 pontos
  • Medalha Gold Wines of Brazil Awards

Sauvignon Blanc Maria Maria – Diva (Safra 2017):

  • International Wine Challenge e Medalha de Ouro no Brazil Wine Challenge

Primeira Estrada: vencedor da Grande Prova de Vinhos do Brasil em 2016.

Luiz Porto Syrah: medalha de bronze em 2018 no International Wine Challenge.

Onde comprar vinhos mineiros

Em BH, há restaurantes que contam com vinhos de Minas Gerais em sua carta, como o Birosca, o Glouton e o Au Bon Vivant. Alguns vinhos mineiros também podem ser encontrados nos seguintes sites: Cave Nacional, Enoteca Decanter e Vinhoteca Online.

Agora você já sabe: principalmente se a grana estiver curta, você não precisa viajar até o Chile ou mesmo ao Rio Grande do Sul para conhecer vinícolas e degustar rótulos premiados.

Além disso, devemos valorizar os produtores locais e sempre que possível, dar preferência para produtos da nossa terrinha, visando fortalecer a economia da região onde vivemos e prestigiando o que é produzido aqui.

Se você não é mineiro, mas também é apaixonado por Minas Gerais, não deixe de experimentar nossos vinhos! Já provou algum deles? Conte para nós o que achou aqui embaixo nos comentários ou em nossas redes sociais

Posts relacionados

Deixe um comentário